Mobile first: sites imobiliários focados na experiência em smartphone

Mobile first: um modelo de usabilidade de plataformas e sites voltado aos dispositivos móveis. O mobile first é a chave para ter mais visualizações e facilitar o relacionamento com os clientes.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dois terços da população do país (69,8%) possuem conexão à internet. Os smartphones são o principal meio de acesso, cerca de 95,5% das pessoas conectam-se a internet por seus celulares.

A internet se tornou a principal ponte para conquistar novos clientes visto que boa parte da população está sempre conectada às plataformas digitais.

Como funciona o Mobile First?

Quando se cria um site para anúncio de imóveis, é comum primeiramente imaginar uma visualização mais completa nos computadores e depois é feita adaptação para o uso dos celulares. A proposta do mobile first é justamente inverter o processo de criação, concentrando agora na percepção que o cliente terá ao acessar de um dispositivo móvel.

Focar em uma criação de websites na programação para mobile e depois adaptá-la para desktop. Desse modo as experiências dos usuários, em aspectos de usabilidade de página e performance, será muito melhor e mais facilitada de acesso aos conteúdos.

Priorizar não só a forma, mas também o conteúdo e a navegabilidade. O layout desperta o  interesse, porém a flexibilidade na navegação é o que mais influencia na experiência.

Melhorar a experiência ao usuário 

A ordem do modelo é deixar as coisas simples. Ao entrar no site via mobile os usuários querem agilidade em conseguir informações, então o papel da empresa é passar o conteúdo e tornar as funções mais diretas e simples possíveis.

O cliente precisa, com acesso rápido, ter todas as informações, arquivos de imagens visualizados quase que instantâneamente, vídeos e conteúdos não tão pesados, caso contrário afastará os usuários da página, uma fragilidade que pode prejudicar a empresa.

Se torna fundamental adaptar todo o processo para que o navegante tenha uma boa experiência e aumente gradativamente o ranqueamento da página.

O UX (User Experience) vai além da interação com os sites, otimiza o acesso aos conteúdos, fornece um interface prática que estimula a interação para conquistar clientes.

Vantagens do uso de Mobile First

O mobile first muda a forma como os buscadores do Google se organizam. Antes as páginas eram indexadas por uma avaliação inicial para as versões desktop. A novidade é que o Google passará a priorizar a indexar para as versões mobile o que aumentará o número de rankeamentos ao site por esses dispositivos.

O cuidado será manter o mesmo desempenho do acesso e conteúdo similar em ambas as ferramentas, mobile e desktop, para que o Google consiga reconhecer as estruturas das páginas com os mesmos dados.

Facilite a vida do cliente tornando o processo de negociação digital! Em qualquer lugar você consegue ter acesso a plataforma IZEE e formalizar o contrato. Vem descobrir mais sobre seu novo jeito de alugar!

Qual o Potencial do Blockchain no Setor Imobiliário?

O blockchain é uma tecnologia atual que tem a capacidade de armazenar informações digitais de forma imutável e inviolável, um sistema complexo que pode ter aplicações no mercado imobiliário.

Você já deve ter ouvido falar no termo por conta das criptomoedas, que utilizam a ideia. Mas você sabia que existem aplicações diferentes, fora desse universo?

O que é Blockchain?

O Blockchain, que significa cadeia de blocos, pode ser facilmente associado as criptomoedas, e de fato é a tecnologia por trás de muitas moedas digitais. Sua ação é associada a um sistema de lançamentos digital, armazenando e registrando dados de maneira confiável e imutável.

Diversos computadores conectados emitem dados, realizam transações e armazenam os registros de forma instantânea e universal. Sem a interferência de intermediários, como os bancos, nas ações.

Com a conferência de dados e o encadeamento em blocos, ataques de hackers e violações das informações se tornam muito mais difíceis. Por isso, há um futuro promissor de segurança e transparência nas operações que envolvem a tecnologia.

O que o Blockchain pode agregar ao mercado imobiliário?  

Atualmente, já se comenta das possíveis aplicações dessa tecnologia no mercado imobiliário – usos, por exemplo, em contratos inteligentes – que podem acelerar transações de forma transparente e aproximar comprador e vendedor, sem tantos intermediários como ocorre hoje. Além disso, podem oferecer caminhos para uma tokenização (da qual falaremos mais adiante). A tecnologia tem 3 pilares que possibilitam esses usos:

Descentralização

Diferentes entidades são responsáveis pela coleta e validação de dados. Além disso, não há necessidade de uma autoridade centralizada que torne toda a rede confiável em comparação com outras redes.

Transparência 

As informações se tornam públicas na rede do blockchain. Os dados processados podem ser analisados por todos que fazem parte da conexão, além de manter um histórico que vai até a origem do bloco.

Incomutável

O esquema envolvido na cadeia de dados impede alterações, pois são descentralizados e criptografados.

O que é a tokenização no mercado imobiliário?

Um token é uma representação de um bem ou valor do mundo real, só que em forma digital. Possuir um token do mercado imobiliário poderia representar a propriedade de um imóvel por alguém e, inclusive, facilitar a venda fracionada de um imóvel.

Os tokens podem ser fracionados e isso representaria a possibilidade de várias pessoas terem “um pedaço” do imóvel.

As aplicabilidades dessa tecnologia para o mercado são incalculáveis e ainda é muito cedo pra dizer tudo que será possível fazer com ela.

Big Data: inteligência digital para análise de dados

Usado para obter informações que levam a melhores decisões e movimentos estratégicos de negócios, o big data é um termo que refere-se à ciência de tratar, analisar e obter informações a partir de grande quantidade de dados. Geralmente são complexos, difíceis ou impossíveis de processar usando métodos tradicionais.

A internet está aí para nos atualizar de tudo, podemos coletar dados de qualquer fonte e analisá-los. Mas a maneira como o big data age é mais potente e integrada por uma análise inteligente que une velocidade, quantidade e variedade.

A questão é saber como utilizá-lo para obter insights relevantes e tomar decisões acertadas.

Como o Big Data pode ser aplicado no mercado imobiliário ?

A coleta e análise de dados é necessária para trazer argumentos relevantes na negociação dos ativos e administração da operação. Informações sobre o interesses do clientes, como características da propriedade, região, índices de criminalidade, vizinhança, entre outras que podem ser usadas para dar vantagem competitiva à sua imobiliária.

Os profissionais e sistemas focados nessas técnicas trazem diversas informações para a tomada de decisões, aumentando o sucesso do seu negócio.

As mudanças e melhorias com a implementação de técnicas para lidar com dados são grandes e sua empresa pode se apropriar das vantagens.

Novos modelos de negócio dentro do mercado imobiliário tem surgido, como o iBuyer, que utiliza big data para validar-se. O big data também é utilizado nas plataformas onde atua o marketing digital.

Marketing e Big Data

Com o acesso a diferentes assuntos nada mais justo que usá-los para anunciar. Pelos dados dos clientes você tem acesso a suas  preferência, direcionando assim sua mensagem, levando ofertas valiosas, ou seja, que estão alinhadas às sua expectativas e necessidades.

Caso o cliente deseje alugar uma casa silenciosa para poder se concentrar em seus estudos e que seja próxima a centros universitários, você poderá impactá-lo com um anúncio do melhor lugar disponível na sua carteira e aumentar suas chances de êxito no negócio.

Nesse meio, o big data utiliza informações que podem moldar e segmentar um conteúdo para diferentes públicos tornando a ação assertiva.

A IZEE trabalha com dados de forma inteligente. Acesse nosso site e saiba mais sobre a plataforma completa.